TOYOTA GAZOO Racing chega a Portugal na liderança do WRC

19 Maio, 2021

A TOYOTA GAZOO Racing está de volta a Portugal e chega para a quarta ronda do campeonato, na liderança do mundial de ralis. Depois do cancelamento da edição do ano passado (devido à pandemia), a Toyota realizou alguns testes em Portugal no final de abril e nos dias 20 a 23 de maio procura um bom resultado na prova lusa. Pilotos e máquinas enfrentam um total de 346,26 quilómetros cronometrados, repartidos por 21 especiais na zona norte e centro do país.

Após uma “dobradinha” no último evento na Croácia, a Toyota lidera o campeonato de fabricantes, bem como a classificação de pilotos, onde Sébastien Ogier detém o primeiro lugar, após duas vitórias nas três primeiras provas desta época de 2021. O francês da Toyota confessou o seu entusiasmo em voltar a Portugal, uma vez que a primeira vitória da sua carreira no WRC foi conquistada no Vodafone Rally de Portugal em 2010. Sendo, a par com Markku Alén, o recordista em triunfos no nosso país: cinco no total.

O britânico Elfyn Evans está em terceiro lugar do campeonato, 10 pontos atrás do francês, e o jovem Kalle Rovanperä está em quinto, a 22 pontos da liderança. Mais uma vez, Takamoto Katsuta estará ao volante de um quarto Yaris WRC em Portugal, como parte do programa TOYOTA GAZOO Racing WRC Challenge Program, procurando manter os bons resultados.

A equipa continua a desenvolver o Toyota Yaris WRC durante a sua quinta temporada de competição e, após uma actualização do pack aerodinâmico do Yaris estreado na Croácia, um novo motor, com melhorias na potência e fiabilidade, será utilizado em Portugal.

Portugal marca o primeiro de uma série de eventos consecutivos em terra. Como em anos anteriores, a prova portuguesa tem base em Matosinhos, e caracteriza-se por especiais rápidas e técnicas. O piso é normalmente suave e com gravilha solta no início, oferecendo uma aderência limitada para quem abre a estrada, mas pode tornar-se rochosa nas segundas passagens com consequências por vezes graves no desgaste dos pneus.

O desenho do rali é semelhante ao último realizado em 2019. Começa novamente com a cerimónia de partida em Coimbra, na quinta-feira à noite. Sexta-feira 21 de maio a prova “acelera” em Lousã, Góis e Arganil. Antes de regressar ao norte para terminar o dia com a super-especial de Lousada, há um regresso a Mortágua pela primeira vez em 20 anos. No sábado, o rali concentra-se na Serra da Cabreira, antes da nova super especial do porto, na foz do Douro. Um total de cinco especiais que completam o rali no domingo, incluindo duas passagens em Felgueiras e regresso muito aguardado a Fafe, para a icónica Power Stage.